terça-feira, 15 de janeiro de 2013

SEM DEVOLUÇÃO

Arte de Kazimir Malevich

O que é impossível colocar de volta depois que abrimos? O que é irreversível? Sem chance de arrependimento. Sem chance de devolução.
 
Saco de lixo: Após tirar um, não tem como pôr de volta na embalagem.
Meia-calça: experimentar é sair com ela. Não tem jeito de restaurar a virgindade do pacote.
Aspirador de pó: é levantá-lo da caixa da loja que ele não entra mais ali, nunca mais. Não tem como aproveitar a caixa como berço.
Guarda-chuva: Não há como devolver para a minúscula capinha.
Bombom: o papel é derrapante, autoritário, feito para a compulsão. Desliza para nossa boca, inviável guardar para comer depois.
Lençol com elástico: Ainda não nos ensinaram a dobrá-lo, fica amontoado, embrulhado, indômito, uma poça de pano.
Champanhe: Tirou a rolha, é necessário tomar toda a garrafa.
Guardanapo: Eles se rebelam e não regressam ao envelope de plástico.
Camisinha: Mesmo que não tenha usado. Uma vez aberta, morreu.
Mala de mulher: É abrir para espiar que não tem como fechar de novo.
Homem: Assim que casa, incha, nunca recupera sua forma física.

Ouça meu comentário na manhã de terça-feira (15/1) na Rádio Gaúcha, programa Gaúcha Hoje, apresentado por Antonio Carlos Macedo e Daniel Scola:
 

3 comentários:

Guilherme Pereira disse...

otimo texto, vc é bem espiritual.. valeu!

obat herbal asam urat disse...

thanks information and article is good

Anônimo disse...

Interessante o jeito de expor os seus pensamentos.