segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

QUASE PERFEITO — Consultório sentimental de Carpinejar

O PAVOR DE SE DECLARAR
Arte de Jim Dine

“Olá, Fabrício, tudo certo? Eu gostaria de saber por que é tão difícil falar para uma pessoa que tu gosta dela. Quando está sozinho, pensa em falar diversas coisas e se encoraja todo, mas na frente da pessoa tu fica completamente diferente, fica tenso, fica até pensando “será que gosto mesmo dela?”. Acho que é coisa da minha cabeça, eu não gosto dela tanto assim, acho que estou exagerando, mas aí tu volta pra casa e fica o dia inteiro pensando nela e morrendo de amores. Por que é tão difícil, mesmo sabendo que a pessoa também está interessada? Abraços! Melanie”

Querida Melanie,
 
Tenho um teste para as românticas. Entre os contos de fadas de amor da Disney:
 
Qual é o animal que somente aparece na Branca de Neve?
Qual é o que só desponta na Cinderela?
Qual é o que surge unicamente na Bela Adormecida?
 
Caso souber as três respostas, está na categoria das apaixonadas inveteradas. Sua vida será sempre tramar suposições do que pode acontecer. Vive um passo a mais de suas próprias pernas.
 
O que você sofre qualquer um sofre. É a expectativa de agradar a si mesma e corresponder também aos desejos do outro. Sozinha, está confortável, tem tempo de errar e consertar as frases. O espelho não pede resposta e não faz pressão.
 
Já com ele o negócio é terrível. A realidade não escuta até o fim e nos interrompe com novas necessidades.
 
Como não consegue se declarar, cria a hipótese de que nem ama realmente, que o romance é uma ilusão.
 
Não caia nessa bobagem. Sempre que somos verdadeiros, queremos nos boicotar. Sempre que somos falsos, apressamos nossa entrega.
 
Quando amamos de verdade, nos dificultamos. Quando amamos de mentira, nos facilitamos. Sou defensor da ideia de que a timidez demonstra a autenticidade do sentimento.
 
Quem não sente um pouco de vergonha na hora de tirar a roupa não ama. Quem não sente um pouco de retração na hora de abraçar não ama.
 
O pudor é o Inmetro do amor. Vem para expressar cuidado e respeito. Vem para sugerir o quanto é valiosa aquela cena. Vem para evitar possíveis estragos.
 
Deduzir que não tem interesse por ele é uma forma de perdoar sua covardia. Claro que ama e com veemência.
 
Adota atitude conspiratória contra seu relacionamento pelo receio de ser rejeitada. Prefere se manter calada, na defensiva.
 
Até se engana tentando se convencer que ele não é seu tipo ideal. Mas, na ausência, experimenta o pavor de perdê-lo, a sensação de extraviar a chance de firmar o namoro.
 
A saudade é a prova dos nove. A saudade é uma memória atrasada. A saudade é o que deveríamos ter feito.
 
Relaxa. Qualquer palavra quando se ama é a certa, pois ela só vai abrir passagem para o beijo. O beijo corrige todo tropeço.

a)Pombas; b)Cachorro; c) Coruja
Publicado no jornal Zero Hora
Coluna semanal, Caderno Donna, p. 6
Porto Alegre (RS), 27/01/2013 Edição N° 17325
Preservamos a identidade do remetente com nome fictício.

6 comentários:

A glória do mesmo disse...

Vou dar um teco, C. Drummond dizia que "A dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional"... fala aí e ve o que acontece.

Aline. disse...

ai minha nossa ! você foi tão bonzinho. :)
Li tudo como se fosse a Melanie,
também vivo uma situação parecida e até as reações são iguais.
Fiquei feliz ... vou arriscar mais sem perder o pudor.

Beijos !

Danielle Castro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Danielle Castro disse...

Temos 50% de chance para uma das duas únicas respostas e mesmo que esse 50% seja a rejeição, vale a pena tentar. A tentativa é 1 milhão de vezes melhor que a dúvida. Tive uma experiência dessas. Passei 5 anos tentando me declarar para uma pessoa, mas por outro lado, não deixei de viver e até namorei outras pessoas. E num belo dia, resolvi trocar a dúvida pela tentativa. Eu tinha tudo pra desistir, estava num relacionamento estável, com planos de casar. Resolvi largar tudo e correr atrás da incerteza (nem tão incerteza assim, pq eu sentia que poderia ter uma chance. A dúvida era conseguir conquistar a pessoa dos meus sonhos).
Declarei-me e recomecei a vida, em 2012, ao lado da pessoa que eu tanto sonhava namorar.
O receio sempre haverá, se o sentimento for verdadeiro. Mas é interessante tentar, tirar todas as dúvidas. Como vamos saber se algo é impossível se não tentarmos?
Tente, Melanie.
Abraço, Fabrício.

Patrícia Kelly disse...

Há muitas pessoas que se perdem nesse espaço entre o quer e o que faz. Amar é mais sonhar do que viver, pois a maioria ama mais o que desenha na imaginação do que o que vive na realidade.

ana disse...

Quem ama fica esperando o momento perfeito, mas é o dizer eu te amo que torna qualquer momento perfeito.